MODERNIZAÇÃO DO MUSEU HISTÓRICO DA IMIGRAÇÃO JAPONESA

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

No próximo dia 23 de janeiro, às 16h, o Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil inaugura a 3ª etapa do Projeto de Modernização de  suas instalações.

Trata-se do Museu Vivo que envolve o estabelecimento de um Centro de Pesquisa voltado aos estudos sobre a imigração e cultura japonesa, localizado no 3º andar, junto ao acervo.

Também faz parte do Museu Vivo a sala Prof. Hiroshi Saito, no 8º andar, destinada às diferentes atividades educativas (palestras, exibição de filmes, oficinas culturais, etc).

“Em meados dos anos de 1970, o antropólogo Tadao Umesao, fundador e diretor geral do Museu Nacional de Antropologia em Osaka, ao orientar a concepção do nosso Museu da Imigração Japonesa, preconizava que, além das exposições, uma das prioridades seria a função de um museu vivo em que não só os pesquisadores pudessem fazer seus estudos como também a comunidade local, escolas, visitantes tivessem a oportunidade de conviver na instituição por meio de diferentes atividades culturais”, afirma Lídia Yamashita, presidente da Comissão de Administração do Museu.

Assim, prossegue, “ao estabelecer o Projeto de Modernização do Museu, além das reformas do setor expositivo dos 7º e 8º andares, estabelecemos uma terceira etapa que chamamos de Museu Vivo envolvendo os locais destinados a produzir e divulgar conhecimentos e interagir com pesquisadores, estudiosos e o público”.

A inauguração comemora os 466 anos da cidade de São Paulo e os 65 anos de fundação do Bunkyo – Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social.

Preservação da Memória da Imigração Japonesa

O Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil foi construído pela Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social – Bunkyo como legado da comemoração do 70º aniversário da imigração japonesa, em junho de 1978. Foi idealizado pela geração pioneira com a finalidade de preservar e difundir a memória da imigração japonesa.

Atualmente, mantém uma exposição de longa duração (distribuída em três andares) sobre a trajetória dos japoneses no Brasil e reúne o mais completo acervo relacionado à imigração japonesa no país (que inclui objetos, documentos e fotografias) e possui uma biblioteca especializada (edição completa de jornais nipo-brasileira, entre outras publicações).

Referência sobre a memória de imigração japonesa no Brasil, o Museu é visitado por estrangeiros (principalmente autoridades e turistas do Japão), turistas de várias localidades brasileiras e estudantes em geral, como também recebe pesquisadores de diferentes países.

O Museu está localizado na Rua São Joaquim, 381 – Liberdade – São Paulo – SP. Sua exposição (7º, 8º e 9º andares) abre de terça-feira a domingo, das 13h30 às 17h. A Biblioteca/Escritório (3º andar) funciona de segunda a sábado, das 9h às 17h.

Contribuição

Adulto: R$ 16,00
Estudantes com carteirinha: R$ 8,00
Visitantes de 5 a 11 anos e acima de 60 anos: R$ 8,00
Agendamento de visitas monitoradas
(grupos de 50 pessoas, período de 60 minutos – de terça a sexta-feira)
Monitoria: R$ 150,00

Informações: (11) 3209-5465 ou 3208-1755 (ramal 117) www.museubunkyo.org.br ou www.bunkyo.org.br / E-mail: museu@bunkyo.org.br

Inauguração das instalações do Museu Vivo

Dia/hora: 23 de janeiro de 2020, às 16h

Local: Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil – Edifício da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social / Rua São Joaquim, 381 – 9º andar – Liberdade – São Paulo.

Estacionamento: Rua Galvão Bueno, 540 – Liberdade.

RSVP – museu@bunkyo.org.br / tel.: (11) 3209-5465 com Eduardo, até o próximo dia 20 de janeiro.

Confira o calendário de eventos completo