pavilhaohome edificiohome museuhome kokushikan blibliotecaacervo bunkyonethome

Sala de Leitura

bibliotecaA Sala de Leitura do Bunkyo foi criada logo após a fundação da entidade. Atualmente, abriga um acervo com cerca de 60 mil exemplares, entre livros em japonês (maioria) e português.

Possui ainda um acervo especial sobre temas relacionados à comunidade nipo-brasileira. Entre os itens de consulta existem jornais, revistas, enciclopédias, livros (literatura mundial e japonesa, romance, esporte, saúde, agronomia, indústria, estudos sociais, etc.), mangás e fitas de vídeo.

O empréstimo está restrito aos sócios do Bunkyo.

Empréstimo de livros:

  • - 5 livros por pessoa / período de 2 semanas

Sala de Leitura do Bunkyo
Local: Rua São Joaquim, 381 - 2º andar do prédio anexo - Liberdade - São Paulo-SP
Horário de funcionamento:
De terça a sábado, das 9h às 17h30
Informações: (11) 3208-1755 (ramal 128)

Digitalização do Acervo

É possível buscar informações sobre os livros disponíveis para consulta na Biblioteca que tratam do tema da Imigração no Brasil. Veja mais clicando em: ACERVO

Veja aqui as PUBLICAÇÕES DIGITALIZADAS

Secretaria

A Secretaria do Bunkyo organiza diversas atividades da instituição e promove os eventos anuais e especiais juntamente com as Comissões.

Local: Rua São Joaquim, 381, térreo - Liberdade - São Paulo-SP
Horário de atendimento: de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h30
Informações: (11) 3208-1755 ou atendimento@bunkyo.org.br

Centro Esportivo Kokushikan Daigaku

kokushikan entrada O Centro Esportivo Kokushikan Daigaku, no município de São Roque, foi doado ao Bunkyo em 1997, tem 23 alqueires (parte dessa área coberta de mata).

Entre as instalações, destacam-se: um ginásio esportivo, campo de mallet golf, quadras de tênis e cerca de 400 pés de cerejeiras.

Além de receber grupos de treinamentos e campeonatos, anualmente realiza-se a Festa das Cerejeiras Bunkyos em conjunto com as entidades nipo-brasileiras da região.

Local: Rodovia SP-250, km 48, São Roque-SP
Informações: (11) 3208-1755 com Wilson ou patrimonio@bunkyo.org.br

Pavilhão Japonês

pavilhao jardim zen"Na plácida, imensa planura do Parque Ibirapuera, entre paredões de eucaliptos galgos e varas altas que fisgaram as carpas de papel de seda colorido e bojudas de ar, o delicado Katsura marcará a multissecular presença do Japão nas festas dos quatro séculos de São Paulo, com todo aquele conteúdo poético que se concentra na grandiosa miniatura de um Haikai".
Guilherme de Almeida, poeta e presidente da Comissão Organizadora das Comemorações do IV Centenário da Cidade de São Paulo

Pavilhão Japonês, símbolo da amizade entre dois países

Localizado no Parque do Ibirapuera, o Pavilhão Japonês ocupa uma área às margens do lago do parque, e é composto de um edifício principal suspenso, que se articula em um salão nobre e diversas salas anexas, salão de exposição, além de um belíssimo lago de carpas.

O Pavilhão Japonês foi construído conjuntamente pelo governo japonês e pela comunidade nipo-brasileira e doado à cidade de São Paulo, em 1954, na comemoração do IV Centenário de sua fundação.

O projeto, executado pelo professor Sutemi Horiguchi (da Universidade de Meiji), tem como principal característica o emprego dos materiais e técnicas tradicionais japonesas. E, teve como inspiração o Palácio Katsura, antiga residência de verão de membro da Família Imperial, em Kyoto, construído entre 1620 e 1624, na era Edo que foi marcada pelo domínio do clã Tokugawa.

Sua estrutura baseia-se na tradicional arquitetura japonesa no estilo Shoin, adotado nas residências das casas dos samurais e da aristocracia - mais tarde adotado por outras classes. Ela baseia-se ainda em composições modulares de madeira (com divisórias deslizantes, externas e internas), organicamente articuladas, e marcadas pela presença do tokonoma (área destinada à exposição de pinturas, arranjos florais, cerâmica, etc), bem como de outros nichos embutidos, com prateleiras e pequenos gabinetes, decorativamente dispostos.

Na composição estética, o estilo preponderante é Sukiya (derivação de concepção livre do rígido estilo Shoin) que atende aos anseios de contemplação estética (dos próprios ambientes, de objetos, peças de arte e da paisagem), por introspecção e pela criação de um microcosmo apartado dos trâmites mundanos. Portanto, para este tipo de arquitetura, a relação entre a paisagem e o interior dos ambientes é de vital importância. A visita das áreas externas e o paisagismo lírico dos jardins tornam-se prolongamento dos ambientes interiores.

Projetado como um monumento símbolo de amizade entre japoneses e brasileiros, o Pavilhão reúne materiais trazidos especialmente do Japão, tais como as madeiras, pedras vulcânicas do jardim, lama de Kyoto que dá textura às paredes, entre outros.

A construção do Pavilhão Japonês no Parque do Ibirapuera, em 1954, que foi transportado desmontado, em navio, contou com numerosos imigrantes japoneses que atuaram como voluntários para auxiliar o corpo técnico vindo do Japão. Essas atividades foram coordenadas pela Comissão Colaboradora da Colônia Japonesa Pró-IV Centenário de São Paulo.

O Pavilhão Japonês foi doado para a Prefeitura Municipal de São Paulo. Desde 1955, a Sociedade Paulista de Cultura Japonesa (atual Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social), foi, graças ao convênio estabelecido com a Prefeitura da cidade de São Paulo, a entidade tem sido responsável pela administração, manutenção e promoção de eventos nesse local.

pavilhao logo
Apoio/Parceria
logo mam

O Jardim do Pavilhão Japonês

O jardim que envolve o Pavilhão Japonês foi inspirado nos tradicionais conceitos japoneses, e reúne variadas plantas e flores típicas. Nele foram instalados vários marcos relacionados à amizade e intercâmbio entre o Brasil e o Japão.

Um deles, por exemplo, é o pinheiro japonês, plantado em 1967 pelo atual Imperador e Imperatriz do Japão. Outro é uma escultura em pedra, com a inscrição de um poema haiku, de autoria de Nempuku Sato, que imigrou ao Brasil em 1927 e, desde então, dedicou-se ao ensino e à divulgação dessa poesia.

O Lago das Carpas

pavilhao lago de carpas e jardimO lago foi construído na mesma época em que o Pavilhão e recebeu as primeiras carpas coloridas no início da década de 70, graças à iniciativa da Associação Brasileira de Nishikigoi e ao intercâmbio com criadores de várias províncias japonesas.

Com capacidade para cerca de 100 mil litros de água, o lago abriga cerca de 320 carpas.

A Sala de Chá

pavilhao chashitsuO Chashitsu, local para a prática da cerimônia do chá, está localizado no edifício central, com sua atmosfera wabi sabi, isto é, de austero refinamento envolto por quietude e pura simplicidade.

A inauguração da sala da cerimônia de chá foi realizada em 1954, com a presença do Grão-Mestre Herdeiro Sen Soko (posteriormente, XV Grão-Mestre do Urasenke) e seu irmão mais novo, o mestre Naya Yoshiharu.

O Salão de Exposição

pavilhao exposicaoO Salão de Exposição, ligado ao Pavilhão por uma passagem com vista ao jardim zen, apresenta o acervo permanente de arte japonesa constituído de peças doadas e consignadas pelo governo do Japão, entidades, empresas e personalidades diversas. É composto de peças originais e de réplicas perfeitas de "tesouros nacionais" japoneses.

Periodicamente, o local recebe exposições especiais, sempre com temas relacionados à arte e cultura japonesa.

*Texto baseado no guia bilíngue (japonês/português) - "Pavilhão Japonês - Tradição e Modernidade", publicado pela Comissão de Administração do Pavilhão Japonês.

Eventos no Pavilhão Japonês

A Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social, o Bunkyo, responsável pela administração e preservação do local, promove diversas atividades ao longo do ano, tais como: Festival Hina Matsuri (Dia das Meninas) e Kodomo no Hi (Dia dos Meninos), apresentações de dança e música tradicional japonesa e exposições culturais. Atualmente, o Pavilhão conta com uma nova equipe de educadores e também promove visitas monitoradas em português e japonês.

Os espaços do Pavilhão Japonês podem ser locados para realização de eventos, exposições e apresentações culturais.

Veja o vídeo dos 60 Anos do Pavilhão Japonês

 


pavilhao lago carpasPavilhão Japonês
Local: Parque do Ibirapuera - portão 10
(próximo ao Planetário e ao Museu Afro Brasil - mapa no final desta página)
Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº - São Paulo - SP
(a cerca de 5 quilômetros do Metrô Santa Cruz)

Funcionamento: quarta-feira, sábado, domingo e feriados
Horário: das 10h às 12h e das 13h às 17h

Informações:
(11) 5081-7296 ou pavilhao@bunkyo.org.br
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. 
(11) 3208-1755

Contribuição adulto: R$ 10,00
Estudante com carteirinha: R$ 5,00
Idosos a partir de 60 anos: R$ 5,00 (Lei 10.741/2003 – Estatuto do Idoso)
Crianças de 5 a 12 anos: R$ 5,00
Crianças até 4 anos: isento

 

Clique nas imagens para ampliar os mapas

Mapa do Parque Mapa dos Arredores
pavilhao mapa parque  pavilhao mapa ruas

Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil

mhijb logoO Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil foi inaugurado em 18 junho de 1978, idealizado como a grande realização do 70º aniversário da imigração japonesa no Brasil. A cerimônia de abertura foi prestigiada pelo então príncipe herdeiro Akihito do Japão e pelo presidente da República Ernesto Geisel.

O objetivo da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa - Bunkyo, responsável pela iniciativa, foi o de registrar e preservar tudo o que pudesse contar a vida dos imigrantes japoneses no Brasil.

mhijb 7 andarAtualmente o MHIJB soma 1.592 m² de área expositiva, dividida em 3 andares: 7º, 8º e 9º andares, localizados no Edifício Bunkyo, em pleno bairro da Liberdade.

Os dois primeiros andares foram construídos em 1978 e reúnem documentos e objetos que abrangem desde a assinatura do Tratado de Amizade Brasil/Japão (1895), a chegada dos primeiros imigrantes (1908), os núcleos coloniais (a partir de 1913), até a policultura.

mhijb 9 andarO 9º andar, inaugurado em novembro de 2000, enfoca os 50 anos pós-guerra. Nele estão retratadas as mudanças da comunidade nikkei, a vinda das empresas japonesas, bem como a contribuição dos nipo-brasileiros para a sociedade brasileira.

Em outro andar (3º andar) estão localizados a biblioteca e o acervo, que somam mais de 5 mil objetos, 28 mil documentos escritos (entre diários, livros, jornais, revistas) e cerca de 10 mil fotos relacionadas aos imigrantes japoneses.

Em março de 2012, o MHIJB realizou o lançamento de seu site: www.museubunkyo.org.br.

mhijb 8 andarMuseu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil
Rua São Joaquim, 381 - Liberdade 01508-900 - São Paulo - SP
3º andar - Biblioteca/Escritório
7º, 8º e 9º andares - Exposição Permanente

Horário de atendimento

Exposição: de terça-feira a domingo, das 13h30 às 17h00
Contribuição adulto: R$ 16,00
Estudantes com carteirinha: R$ 8,00
Crianças de 5 a 11 anos: R$ 8,00
Idosos acima de 60 anos: R$ 8,00 (Lei 10.741/2003 – Estatuto do Idoso)

Biblioteca*/Escritório (3º andar)
De segunda a sábado, das 9h às 17h00
*Biblioteca apenas para consulta local

O acervo do Museu só é acessível aos pesquisadores com agendamento prévio, mediante o envio do plano de pesquisas ou de estudos, por email.

Agendamento de visitas monitoradas
(para grupos de 50 pessoas, período de 60 minutos - de terça a sexta-feira)
Monitoria: R$ 150,00

Informações: (11) 3209-5465 ou 3208-1755 (ramal 117)
E-mail: museu@bunkyo.org.br