pavilhaohome edificiohome museuhome kokushikan blibliotecaacervo bunkyonethome

Prêmio de Excelência em Shakuhachi, mestre Kakizakai apresenta-se no Bunkyo

kakizakaiOs admiradores de música clássica japonesa, no próximo dia 1º de junho, às 11h, terão a oportunidade de acompanhar, ao vivo, a performance de um dos mais destacados mestres de shakuhachi do Japão – Kakizakai Kaoru.

Ele estará se apresentando com outros mestres radicados no Brasil – Tamie Kitahara (koto), Hiroshi Fuchigami (shakuhachi) e Shen Ribeiro (shakuhachi), no Recital de Shakuhachi do 69º Concento Bunkyo aos Domingos, organizado pela Comissão de Música.

Na programação do Recital constam três peças do repertório Honkyoku (conjunto de composições tocadas por monges zen budistas peregrinos no século 13).

Em seguida, serão interpretadas quatro peças do repertório considerado Shinkyoku (composições modernas): "Haru no Umi" de Michio Miyagi; "Gekkou Routeki", "Tone no Funa Uta" e "Tsukigusa no Yume", todas de Rando Fukuda.

O 69º Concerto Bunkyo aos Domingos é patrocinado pela Toyota, Yakult, Fundação Kunito Miyasaka, Sansuy e Kanafelx.

 

69º Concerto Bunkyo aos Domingos
- Recital de Shakuhachi com Kakizakai Kaoru
Data/hora: 1º de junho de 2014, às 11h
Local: Pequeno Auditório do Bunkyo
Rua São Joaquim, 381 – Prédio Anexo – 3º andar – Liberdade – São Paulo
Entrada Franca – Solicita-se doação de 1 kg de alimento não perecível
Mais informações: tel: (11) 3208-1755 – email: contato@bunkyo.org.br

 

Quem é o mestre Kakizaki Kaoru

Natural de Chichibu, Saitama (Japão), iniciou seus estudos de shakuhachi no estilo Kinko ryu e posteriormente tornou-se aluno de Katsuya Yokoyama (1934-2010). Formou-se no Conservatório de Música Tradicional NHK e foi vencedor do prestigiado concurso Kumamoto All Japan Hogaku.
Kakizakai atou como solista convidado em importantes orquestras, como a Nipponica Orchestra (Japão), Erzgebirgsensembles Philharmonic (Alemanha), Orquestra Sinfônica NHK (Japão) e Filarmónica de São Petersburgo (Rússia).
É professor convidado em eventos de relevância como o Acampamento de Verão das Montanhas Rochosas (Colorado, EUA) desde 2005; o Festival Mundial de Shakuhachi (Austrália) em 2008, 2006, 2004 e 2001 e o Festival de Verão de Shakuhachi (França) em 2007. Ministrou cursos na Escola Superior de Musica de Catalunya (Espanha), na Pomona University e na California Institute of the Arts (EUA).
Lançou o CD solo "Koten Shakuhachi", vol.1 e vol.2, em 2003 e 2008. Participou na gravação dos CDs: "Fukuda Rando Collection" e "Chikuin: Katsuya Yokoyama - O Mundo da Shakuhachi" (1995) e no vídeo "Fukuda Rando Collection" (1991).
Em 1997, recebeu o "Prêmio de Excelência" durante o National Japanese Music Competition realizado no Nagatani Kengyo Memorial.
Realiza periodicamente concertos em diversos lugares do mundo, como na Grécia, França, EUA, Espanha, Austrália, Canadá, Japão e Itália, e neste ano de 2014 estará pela primeira vez no Brasil para realizar concertos, aulas e workshops.

Tamie Kitahara

tamieNascida na província japonesa de Yamaguchi, Tamie estudou o koto desde criança e, posteriormente, o shamisen. Em 1996, recebeu da Associação Japonesa Seiha Hougakukai o título de Mestre, com o nome artístico de Utahito. Desde então, dedica-se à formação de alunos, principalmente, de crianças e jovens. É membro da Associação Brasileira de Música Clássica Japonesa e presidente do grupo Seiha Brasil de Koto.

Shen Ribeiro

shenNatural de Botucatu (SP), aos 15 anos Shen iniciou como flautista. Em 1987, foi ao Japão dedicar-se ao estudo de shakuhachi. Ingressou na Universidade de Belas Artes de Tóquio e foi um discípulo direto do Mestre Goro Yamaguchi. Em 1999, foi convidado a tocar para o Imperador do Japão. Tem seis CDs gravados, entre eles Brasilian Music for the Shakuhachi, projeto que uniu a flauta tradicional japonesa à música popular brasileira. Retornou ao Brasil em 2003 e, desde então, dirige o Estúdio Salaviva da Associação Cultural Cachuera!. Como concertista, tem se apresentado em inúmeras salas do Brasil, Japão e Europa interpretando um repertório que mescla temas clássicos, populares e tradicionais. Em 2012 recebeu autorização para iniciar uma filial da casa de seu mestre "Chikumeisha" (de Tóquio) no Brasil. Atualmente preside da Associação Brasileira de Música Clássica Japonesa.

Hiroshi Fuchigami

hiroshiBacharel em Flauta Transversal, atualmente desenvolve pesquisa de mestrado sobre shakuhachi no Instituto de Artes da Unicamp. Desde 2009, tem seus estudos financiados pela Fapesp. Em 2013, recebeu sua quarta bolsa para estudar shakuhachi em Tóquio. Foi aluno de Sugawara Kuniyoshi e Kakizakai Kaoru no Kokusai Shakuhachi Kenshu-kan. Como pesquisador publica artigos sobre shakuhachi em periódicos acadêmicos, como a Revista Opus (Conceito Qualis A2), e participa de congressos no Brasil e na América Latina. Em 2013, fez sua estreia mundial como solista diante da Orquestra Sinfônica da Unicamp com o Poema Sinfônico "Musashi" (primeira peça escrita por um compositor brasileiro, Tomaz Vital, para shakuhachi e orquestra). Atua como performance em orquestras e grupos de música de câmara e já se apresentou no Brasil, Argentina, Paraguai e Japão.