Cerimônia do 44º Prêmio Kiyoshi Yamamoto

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Instituído em 1965, este prêmio conta com o apoio de entidades e da comunidade local para a indicação dos candidatos a esta homenagem. Neste ano, o Prêmio Kiyoshi Yamamoto será concedido a Kiyoshi Shimasaki, Sidney Fujivara e Tadataka Minami.

À Comissão Organizadora cabe a difícil tarefa de selecionar os premiados do ano, avaliando cinco critérios principais: inovação tecnológica; originalidade e pioneirismo; capacidade multiplicadora dos resultados; sucesso econômico financeiro e atuação na comunidade regional e contribuição à sociedade.

No dia 7 de novembro, às 19h, será realizada a Cerimônia de Outorga do 44º Prêmio Kiyoshi Yamamoto, um dos mais significativos prêmios da agricultura no país. Conheça abaixo um pouco sobre os homenageados desta edição:

Kiyoshi Shimasaki

Kiyoshi ShimasakiNasceu no bairro da Terceira Aliança, Mirandópolis (SP), onde foi criado. Herdou de seu pai uma pequena propriedade rural localizada numa comunidade formada por imigrantes japoneses.

Na década de 1960, quando as culturas de milho e algodão eram ainda predominantes na região, passou a utilizar os grãos como fonte de proteína vegetal para alimentar as galinhas para produção de ovos, carne e o aproveitamento do subproduto esterco para recuperação de solos degradados.

Na década de 1980, vislumbrou na fruticultura um novo empreendimento, começando com a cultura da goiabeira. Dada à limitada área de sua propriedade, percebeu que o sucesso só poderia ser alcançado se houvesse melhoria na qualidade e na diversificação das espécies. Assim, passou a introduzir outras espécies frutíferas de valor comercial, dedicando-se na sua aclimatação.

Os resultados de seu trabalho foram multiplicados nas três Alianças e em toda região, que hoje produzem abiu, acerola, carambola doce, goiaba, caqui, manga, rambutã, mangostão, caju, pitaia, entre outras frutas.

Merecem destaques as pesquisas realizadas com a caramboleira, em parceria com as instituições de pesquisa do Estado, tendo desenvolvido a variedade C1, de sabor adocicado e muito apreciado pelos consumidores.

Com a adoção do método de multiplicação por enxertia, propagou variedades produtoras de frutos de melhor aceitação no mercado; com a poda denominada “toca de índio”, devido ao formato dado à arvore, aumentou a produtividade e com o desbaste dos frutos produziu frutos maiores e mais valorizados.

O Prêmio Kiyoshi Yamamoto é concedido a Kiyoshi Shimasaki pelo seu espírito empreendedor, mediante introdução de novas atividades, inovação e difusão tecnológica na fruticultura.

Sidney Hideo Fujivara

Sidney FujivaraNasceu e foi criado em Capão Bonito (SP), aonde seus pais se fixaram em 1949, procedentes da região da Alta Paulista. Assim que se formou engenheiro agrônomo pela Universidade Federal de Viçosa, em 1992, assumiu a gestão da propriedade da família. Em 1998, foi um dos pioneiros no cultivo de batata da variedade Agata. Essa variedade apresenta boa produtividade, tubérculo alongado, polpa amarela e película lisa, bem ao gosto dos consumidores brasileiros.

Por meio de dias de campo, orientação aos agricultores e franqueando o plantio para visitas técnicas, difundiu rapidamente o cultivo da variedade na região. Essas iniciativas contribuíram para gerar confiança entre os bataticultores brasileiros e hoje a variedade Agata é a mais cultivada no país.

Com busca incessante de novas tecnologias e inovações em cultivo de milho e soja, Fujivara tem conseguido alcançar excelentes índices de produtividade e tem difundido suas experiências de sucesso entre os agricultores por meio de palestras e dias de campo.

Também tem se preocupado com problemas de agrotóxicos junto aos trabalhadores rurais e a educação ambiental. Em 2008, promoveu um trabalho junto às crianças sobre uso correto de agrotóxicos e dos equipamentos de proteção individual. Em 2014, desenvolveu o projeto “Reciclagem, uma questão de educação”, também com crianças. Devido ao sucesso alcançado, este projeto servirá como piloto para toda região na implantação do Programa Nacional de Resíduos Sólidos.

O Prêmio Kiyoshi Yamamoto é concedido a Sidney Hideo Fujivara pelo seu pioneirismo na inovação e difusão tecnológica nas culturas de batata, milho e soja e sua preocupação com a educação ambiental de crianças.

Tadataka Minami

Tadataka MinamiChegou ao Brasil em 1955, com seus pais e quatro irmãos, e aos 12 anos passou a trabalhar em fazenda de café, em Bauru. Tendo concluído o 6º ano do ensino fundamental no Japão, frequentou a escola rural existente na fazenda, onde concluiu o curso primário.

Em 1963, a família adquiriu um terreno em Biritiba Mirim para se dedicar à cultura de alface. Em 1964, empregou-se como aprendiz numa marcenaria em São Paulo. Em 1970, produziu as primeiras máquinas de lavar cenouras, inicialmente com peças de madeira, num barracão instalado no terreno da família em Biritiba Mirim. Em 1972 criou no mesmo local a Minami Indústria de Aparelhos para Lavoura Ltda.

O lavador foi um sucesso, vendendo mais de 2000 unidades e aumentou a produtividade da cultura de cenoura. Em 1973, passou a fabricar implemento para distribuir calcário e espalhador de esterco, também com grande aceitação, tendo vendido mais de 3000 unidades.

Em 1997, na linha de inovações criou adubador específico para a cafeicultura, cujas vendas atingiram mais de 1800 unidades. Aproveitando a infraestrutura existente, no ano 2000 passou a fabricar gôndolas para supermercados e, em 2010, componentes metálicos para telhados de casas populares.

A motivação para Minami sempre foi criar máquinas que facilitassem o trabalho dos pequenos e médios produtores, aumentando seu rendimento, reduzindo o custo de produção e melhorando a qualidade de vida dos agricultores.

Outra grande preocupação do empresário é com a preservação do meio ambiente, pois a fábrica localiza-se em área abrangida pela lei de proteção de mananciais.

Durante 42 anos, como empresário, sempre se preocupou com os problemas sociais e de educação dos jovens, mantendo convênio com SENAI para qualificar a mão de obra. Membro da Associação Cultural e Desportiva de Biritiba Mirim (ACDBM), colaborou intensamente com as atividades da Associação, tendo sido presidente durante 4 mandatos, perfazendo 8 anos de gestão. Incentivou a prática do beisebol entre os jovens e construiu campo de mallet golf voltado aos idosos.

Desde 1994, integra o grupo Seiwa-Juku, que segue os ensinamentos da filosofia de gestão empresarial de Kazuo Inamori.

O Prêmio Kiyoshi Yamamoto é concedido a Tadataka Minami por sua relevante contribuição ao desenvolvimento e produção de implementos agrícolas, sua preocupação na preservação do meio ambiente e sua dedicação para o progresso da comunidade local.

Cerimônia do 44º Prêmio Kiyoshi Yamamoto
Data/hora: 7 de novembro de 2014, sexta-feira, às 19h
Local: Salão Nobre da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social
Rua São Joaquim, 381 – 2º andar – Liberdade – São Paulo-SP
Taxa de adesão: R$ 80,00 por pessoa (confirmação de presenças até 4 de novembro)
Informações: (11) 3208-1755, com Regina Kondo

Realização:
Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social – Comissão do Prêmio Kiyoshi Yamamoto

Patrocínio:
Fundação Kunito Miyasaka
Agroinvest
Ihara
Jacto
Minami
Promissor – Corretora de Seguros
Sakata
Takii

Apoio:
Nikkey Shimbun
São Paulo Shimbun

Confira o calendário de eventos completo