Brasil recebe espetáculo de Ryukyu Buyo

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

cartaz ryukyu buyo spEm comemoração aos 120 anos do Tratado de Amizade Brasil-Japão, artistas japoneses visitam Campo Grande e São Paulo, nos dias 7 e 15 de novembro, para apresentação de Ryukyu Buyo – dança tradicional da ilha de Okinawa – no país.

No espetáculo, todas as danças serão executadas com músicas ao vivo ao som de instrumentos típicos da ilha, trazendo ao público brasileiro a oportunidade de conhecer mais sobre as artes okinawanas e sentir as origens da cultura e a identidade uchinanchu.

kinjoSerão duas horas de apresentação e a primeira parte abordará as danças do Reino de Ryukyu que foram desenvolvidas como fins de entretenimento em solenidades oficiais e a vida fora do reino com apresentações de danças populares, retratando o cotidiano da população okinawana. Na segunda, será apresentado um conjunto de danças modernas e inovador de uma forma dinâmica.

As apresentações no Brasil contam com a participação das fundadoras da academia de dança Tamagusuku-ryu Senjukai, as irmãs Yoshiko Tanita e Mieko Kinjo, designadas pelo governo japonês como detentoras do título de Importante Patrimônio Cultural Intangível do Japão.

tanitaPor aqui elas estão representadas pelo professor Satoru Saito que, em 2006, recebeu o diploma para lecionar as danças típicas da província japonesa – e que também se apresentará em São Paulo.

Em Campo Grande o espetáculo acontece no dia 7 de novembro, às 19h. Mais informações com a Associação Okinawa de Campo Grande pelo tel.: (67) 3383-3954.

 

SERVIÇO – SÃO PAULO
Ryukyu Buyo – espetáculo de Dança de Ryukyu em comemoração aos 120 anos do Tratado de Amizade Brasil – Japão
Data/hora: 15 de novembro de 2015, domingo, às 14h
Local: Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (Bunkyo)
Rua São Joaquim, 381 – Liberdade – São Paulo – SP
(próx. à Estação São Joaquim do Metrô)
Ingressos: R$ 100,00 (meia entrada: R$ 50,00)

Patrocínio: Agency for Cultural Affairs, Government of Japan
Realização: Stage Support Okinawa (Massami Ono – Okinawa)

 

Pontos de venda dos ingressos:

Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social – Bunkyo
Rua São Joaquim, 381 – Liberdade – (11) 3208-1755

Associação Okinawa Kenjin do Brasil
Rua Tomas de Kima, 72 – Liberdade – (11) 3106-8823

Ferragens Yogi
Av. Conselheiro Carrão, 2329 – Vila Carrão – (11) 3729-3134

Interban Turismo
Av. Paulista, 807 – Bela Vista – (11) 3285-0411

 

ELENCO

Dançarinos:
1. Tanita Yoshiko (Okinawa)
2. Mieko Kinjo (Nagoya)
Detentoras do título de Importante Patrimônio Cultural Intangível do Japão e grã-mestra da escola de dança Tamagusukuryu Senjukai.
3. Miyoshi Higa (Okinawa)
4. Ritsuko Ashimine (Okinawa)
5. Akiko Yamakawa (Nagoya)
6. Masae Teruya (Okinawa)
7. Kimiko Uehara (Okinawa)
8. Michiyo Kamiya (Okinawa)
9. Takako Yoshimoto (Okinawa)
10. Momoko Mizuno (Nagoya)
11. Fuko Mizuno (Nagoya)
12. Shinji Kinjo (Okinawa)
13. Sayuki Iraha (Okinawa)
14. Maeda Nae (Okinawa)
15. Satoru Saito (São Paulo)

Músicos:
1. Takayuki Oshiro – Vocal, Sanshin e Fue (Okinawa)
3. Dai Taira – Vocal, Sanshin e Fue (Okinawa)
4. Sachio Seragaki – Sanshin e vocal (Okinawa)
5. Sanehito Takamiyagi – Taiko (Okinawa)

Técnico de sonoplastia e iluminação: Shigeki Yamamoto (Okinawa)
Assistente de camarim: Toshiko Chinen (Okinawa)
Supervisão: Hideki Tanaka (professor da Universidade Feminina de Jissen de Tokyo)
Iluminação e sonoplastia: BKC Produções

 

RYUKYU BUYO

O arquipélago de Ryukyu foi um reino independente até a Restauração Meiji, em 1868, sendo posteriormente anexado ao Japão e denominado como província de Okinawa. Situada no oeste do Pacífico e ao sul das principais ilhas japonesas, foi um importante entreposto comercial para a região.

Houve épocas, inclusive, em que o reino foi submetido ao império chinês e ao domínio de Satsuma. Devido à sua posição estratégica e à influência estrangeira, uma rica e diferenciada cultura ali floresceu.

As danças surgiram para homenagear os deuses bem como os reis, além de serem formas de entretenimento às delegações diplomáticas chinesas que constantemente visitavam o reino de Ryukyu.

Com seus trajes vistosos, enfeites, expressões e movimentos corporais, a dança de Okinawa expressa a harmonia de um povo alegre e criativo.

O Ryukyu Buyou, danças de Ryukyu (Okinawa), divide-se em três estilos: clássico, folclórico (zo odori) e moderno. As danças clássicas eram aquelas apresentadas aos nobres, no reino, enquanto as folclóricas retratavam a vida cotidiana da população. Esse conjunto de bailados traduz muito da cultura e cotidiano da população local, da miscigenação da cultura de Okinawa, originada do contato comercial intenso com vários países do sudeste asiático no passado.

Pode-se afirmar que a dança de Okinawa tem um refinamento único, surgido tanto do carisma dos nativos e das cores vibrantes do arquipélago, cujo clima é tropical, como da sobriedade e do formalismo das coreografias tradicionais clássicas da corte de Shuri.

Considerado Patrimônio Imemorial Cultural, o Ryukyu Buyo, atualmente, é difundido por muitos países, sendo apreciado por pessoas de todo o mundo.

 

TAMAGUSUKU-RYU SENJUKAI

A academia de dança Tamagusuku-ryu Senjukai foi fundada pelas irmãs Yoshiko Tanita e Mieko Kinjo. A escola é composta por mestres, professores e estudantes em filiais localizadas em diversas partes do mundo como Brasil, Havaí, Los Angeles, Nagoya, Gifu e Osaka.

As fundadoras da escola iniciaram a prática da dança típica de Okinawa em 1945, quando de sua evacuação para Taiwan, durante a Segunda Guerra Mundial. Após retornarem a Okinawa, Tanita e Kinjo começaram seus treinos formais sob a tutela do gran mestre Seigi Tamagusuku, em 1950. O dojo, local de prática, de ambas foi estabelecido em 1961, na cidade Naha, Okinawa. O Tamagusukuryu Senjukai foi fundado em 1976.

As diretoras Tanita e Kinjo participaram, ainda, de inúmeros espetáculos em outras localidades tais como Europa, América e em países do sudeste asiático.

Receberam inúmeros prêmios e reconhecimento por seus esforços a fim de perpetuar e promover as artes tradicionais da província de Okinawa. Em 1993, ambas receberam o Prêmio de Artes Cênicas do Departamento Nacional de Cultura. Em 1998, foram agraciadas com o Special Judge’s Award no Festival de Artes Cênicas de Nagoya. Foram, também, designadas pelo governo japonês como detentoras do título de Importante Patrimônio Cultural Intangível do Japão.

No Brasil, as diretoras da Tamagusuku-ryu Senjukai estão representadas pelo professor Satoru Saito que, em 2006, recebeu o diploma para lecionar as danças típicas da província japonesa.

Confira o calendário de eventos completo