Cerimônia do 45º Prêmio Kiyoshi Yamamoto terá lançamento de livro

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

livroHoje (27), no Salão Nobre do Bunkyo, acontece a Cerimônia de Outorga do 45º Prêmio Kiyoshi Yamamoto, um dos mais significativos prêmios da agricultura no país. A homenagem inicia às 19h e será seguida do lançamento do livro Prêmio Kiyoshi Yamamoto – Contribuição da Comunidade Nikkei para a Agricultura Brasileira.

Instituído em 1965, o prêmio é considerado o de maior longevidade no setor agropecuário brasileiro e está completando 50 anos em atividade. Até o momento, 152 personalidades já foram homenageadas por contribuir para o desenvolvimento agrícola do país.

Em 2015 se realiza a 45ª edição do prêmio (1985/87/89/94/96 e 98 não houve premiação) e o evento integra a comemoração dos 120 anos do Tratado de Amizade Brasil-Japão, marco do início da relação entre os dois países, que depois possibilitou a imigração japonesa ao Brasil.

Entre as contribuições desses imigrantes em terras brasileiras estão aquelas relacionadas ao desenvolvimento da agricultura, introdução de novos plantares e cadeias produtivas, bem como seleção e melhoramento dos produtos, que viabilizaram o desenvolvimento econômico de algumas regiões do país.

O 45º Prêmio Kiyoshi Yamamoto marca o Jubileu de Ouro da instituição do prêmio e também faz parte dos eventos comemorativos aos 60 anos de fundação da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social.

A premiação

Indicados por diversas entidades e pela comunidade de todo o Brasil, os candidatos ao Prêmio Kiyoshi Yamamoto são avaliados pela Comissão Organizadora em cinco critérios principais: inovação tecnológica; originalidade e pioneirismo; capacidade multiplicadora dos resultados; sucesso econômico financeiro e atuação na comunidade regional e contribuição à sociedade.

Pela valiosa contribuição ao progresso de nosso país, os premiados do 45º Prêmio Kiyoshi Yamamoto serão o engenheiro agrônomo Hiroshi Noda, o produtor de chá Riogo Amaya, e o executivo Pedro Mizutani, atual vice-presidente do grupo Raizen.

Ao comemorar os 50 anos de instituição do prêmio, os organizadores do evento também vão realizar homenagem aos ex-presidentes da Comissão do Prêmio Kiyoshi Yamamoto: Ruy Kikuty (in memoriam), Hiroshi Ikuta, Miyoko Shakuda, Isidoro Yamanaka, Issui Takahashi e Shiro Kondo.

O 45º Prêmio Kiyoshi Yamamoto é patrocinado pela Fundação Kunito Miyasaka, Agroinvest Kayatani, Iharabras Indústrias Químicas, Máquinas Agrícolas Jacto, Sakata Seed Sudamerica, Takii do Brasil, Minami Indústria de Aparelhos para Lavoura e Promissor Administração e Corretagem de Seguros.

Os premiados do ano

hiroshi nodaHIROSHI NODA foi indicado para receber o Prêmio Kiyoshi Yamamoto pela destacada atuação na região amazônica, voltada à prática de agricultura sustentável, sua visão humanista e de profundo respeito aos agricultores.

Paulista, 71 anos de idade, o engenheiro agrônomo Hiroshi Noda se juntou, em 1975, à equipe de pesquisadores do Dr. WarwicK Estevam Kerr, no Instituto de Pesquisas da Amazônia (INPA), de Manaus (AM), na área de melhoramento de plantas. Nesse ambiente, desenvolveu uma nova variedade de tomate, resistente à murcha bacteriana (uma doença que inviabiliza a cultura na região) e com boa adaptação ao clima tropical úmido. O tomate foi batizado com o nome de Yoshimatsu, com a junção dos nomes de seus pais.

riogo amayaRIOGO AMAYA foi indicado para o Prêmio Kiyoshi Yamamoto pela dedicação à revitalização da cultura de chá na região de Registro.

Natural de Registro (SP), Riogo Amaya é membro da terceira geração da família Amaya, que se dedica ao chá desde a década de 30 e até hoje continua nessa atividade, lutando para evitar a sua extinção. Enfrentou inúmeras dificuldades até investir na técnica de produção de chá preto e verde com alta tecnologia, conseguindo atingir um chá de qualidade internacional com o reconhecimento do público japonês no 3º Festival de Chá Preto em Owari Asahi, e pela visita da professora da cerimônia de chá, Minako Uehara, diretora da Associação Japonesa de Instrutores de Chá (nihon cha) na degustação feita no World Travel Market, realizado no Expo Center Norte, em 2014.

Riogo desenvolveu uma técnica de processamento de chá verde que não precisa ser preparado em água quente, podendo ser colocado diretamente na água fria, de sabor superior e coloração verde vivo, mais intenso do que o chá verde comum. E com a adaptação do equipamento consegue atingir em 30 minutos a fase final de produção do chá verde, enquanto que no processo convencional leva quatro horas.

pedro mizutaniPEDRO MIZUTANI foi indicado para receber o Prêmio Kiyoshi Yamamoto pelo apoio e sustentação aos pequenos e médios produtores de cana-de-açúcar, com ênfase na preservação do meio ambiente.

Natural de Ribeirão Preto (SP), Pedro Mizutani é graduado em Engenharia de Produção, pela Escola Politécnica da USP, pós-graduação em Finanças pela Universidade Metodista de Piracicaba e MBA em Administração de Empresas, na Fundação Getúlio Vargas, com extensão na Ohio University (EUA). Ingressou na Usina Costa Pinto em 1983 iniciando sua carreira empresarial no setor sucroenergético e desde então vem atuando para o desenvolvimento do setor sucroenergético, acompanhando e contribuindo para a evolução do cultivo de cana-de-açucar, hoje, uma das principais culturas do Brasil e geradoras de renda nacional.

Preocupado com a tendência de extinção dos pequenos e médios produtores de cana-de-açúcar, idealizou e implantou nos Estados de São Paulo, Mato Grosso do Sul e Goiás o projeto denominado Cultivar para orientar e dar sustentabilidade aos produtores, desde aquisição em comum dos insumos agrícolas, negociações de crédito rural em convenio com os bancos, capacitação técnica incluindo a questão de preservação e cuidados ambientais, assistência técnica à lavoura, plano de motivação e reconhecimento. Hoje, este projeto beneficia cerca de 300 produtores e objetiva atingir 3 a 4 mil.

O livro

Tendo como marco a coincidência de importantes datas para a comunidade nipo-brasileira, o lançamento do livro Prêmio Kiyoshi Yamamoto – Contribuição da Comunidade Nikkei para a Agricultura Brasileira retrata os 50 anos de história que envolvem a premiação.

Suas 203 páginas abordam os feitos dos homenageados em áreas como fruticultura, oleicultura, avicultura, floricultura, cafeicultura, produção de grãos, cadeias produtivas, sistemas de produção, ensino, pesquisa e extensão e ações comunitárias, bem como nos cultivos pioneiros (juta, chá, pimenta-do-reino, rami, cravo-da-índia, bambu, cogumelo shiitake, entre outros).

Além disso, o livro apresenta a história de Kiyoshi Yamamoto (um dos fundadores e primeiro presidente do Bunkyo) que, entre suas diversas frentes de atuação, foi agrônomo e obteve sucesso no controle biológico das pragas do café e também estimulou a vinda de outros jovens técnicos agrícolas ao Brasil. A publicação traz a lista de todos os homenageados pelo prêmio.

Cerimônia de Outorga do 45º Prêmio Kiyoshi Yamamoto
Lançamento do livro: Prêmio Kiyoshi Yamamoto – Contribuição da Comunidade Nikkei para a Agricultura Brasileira
Data: 27 de novembro de 2015, sexta-feira, a partir das 19 horas
Local: Salão Nobre – Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social
Rua São Joaquim, 381 – 2º andar – Liberdade – São Paulo – SP
(próx. à Estação São Joaquim do Metrô)
Estacionamento terceirizado: Rua Galvão Bueno, 540
Adesão: R$ 90,00
Informações: (11) 3208-1755 / evento@bunkyo.org.br

Confira o calendário de eventos completo