O Brilho do Pavilhão Japonês no Parque Ibirapuera

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

01O Pavilhão Japonês no Parque Ibirapuera viveu um final de semana dos mais movimentados: os visitantes, em sua maioria famílias ou casais, queriam conhecer o local que acabara de passar por obra de restauro e, também, conferir o evento “O Olhar Japonês no Brasil”, com exposições de concertos de música clássica.

Em cada um dos visitantes, o olhar curioso e atento a cada detalhe no Pavilhão: alguns exploraram os detalhes construtivos, uns se encantaram com as mais de 300 carpas coloridas, outros demoraram observando as obras de Arte Craft e da exposição permanente de arte japonesa reunidas no Salão de Exposição e houve aqueles que se fixaram nos 75 vasos de bonsais, seja por seu formato ou por sua longevidade (uma das plantas tem 90 anos).

02Entre os visitantes havia muitas famílias de descendentes de japoneses, muitas delas acompanhada por alguém que já conhecia o local, mas desejava ver o Pavilhão depois da restauração.

03Entre elas, estavam dois casais com mais de setenta anos de idade, que tentavam identificar detalhes de suas memórias para um fato ocorrido há 50 anos. Os casais Ninomiya e Imoto contam que realizaram a festa de casamento nesse Pavilhão e queriam saber se foi realizado no Salão Nobre ou no Salão de Exposição. “Eu me lembro que era um espaço bem amplo”, disse um deles, “acho que não subia escadas”, disse outro. Aiko Ninomiya conta que a festa realizou-se à noite, não tem certeza em qual salão, mas se recorda que o banquete foi preparado pelo Restaurante Ikeda (que ficava no bairro da Liberdade) e que foram servidos camarões enormes!

04Entre os visitantes, uma das curiosidades foi conferir “in loco”, a “assinatura” dos mestres carpinteiros responsáveis pelas obras de restauro: a imagem de uma carpa gravada em um dos pilares.

Outros acabaram se entretendo com o desafio de montar e desmontar as maquetes feitas pelos carpinteiros demonstrando algumas das técnicas de encaixe usadas em construções tradicionais de madeira.

05Alguns preferiram conversar sobre cerâmica de alta temperatura com os artistas presentes na exposição e até comprar peças no bazar montado na entrada de uma das alas do Pavilhão. Outros foram falar com os responsáveis pela exposição de bonsai numa troca de experiência ou em busca de informações sobre as plantas que mantêm em casa.

13Outro local que chamou a atenção foi o estande da Nissan, patrocinadora do evento “O Olhar Japonês no Brasil”, que está expondo o Sentra, carro indicado por duas vezes consecutivas pela equipe da revista Autoesporte, como a “melhor opção entre os sedãs médios” na pesquisa “Qual Comprar” (edição 2014 e 2015).

O Olhar Japonês no Brasil prossegue até o dia 28 de fevereiro, com exposições de Arte Craft, Bonsai e Ikebana, além dos Concertos de Música Clássica Japonesa aos finais de semana (sábado, às 15h / domingo, às 11h).

SERVIÇO

O Olhar Japonês no Brasil
Até 28 de fevereiro de 2016
Visitação: quarta-feira, sábado e domingo
Horário: das 10h às 12h e das 13h às 17h
Contribuição: R$ 5,00 a R$ 10,00 (isento para crianças até 4 anos e idosos acima de 65 anos)

Realização:
Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social
Nissan do Brasil

Apoios:
Prefeitura de São Paulo – Secretaria do Verde e Meio Ambiente
Consulado Geral do Japão em São Paulo
Fundação Kunito Miyasaka
Comissão de Arte Craft
Associação de Arte Floral Kado Iemoto Ikenobo Nambei Shibu
Bonsai Kai
Hougaku – Associação Brasileira de Música Clássica Japonesa
Brasil Kirin
BKC
Conosenti Convergência

Confira o calendário de eventos completo