Pedro Yano é homenageado na ALESP

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

04O ato solene do último dia 29 de abril na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo homenageou o empresário do setor de venda de combustíveis automotivos na zona Leste da Capital e atuante dirigente da comunidade nipo-brasileira Pedro Yano.

Proposta pelo deputado estadual Hélio Nishimoto, a homenagem contou com a presença de dirigentes de entidades nipo-brasileiras e outros amigos de Yano, como Kihatiro Kita, presidente honorário do Bunkyo e Sergio Oda, vice-presidente da Federação de Sakura e Ipê do Brasil, além da cônsul-adjunto do Consulado Geral do Japão em São Paulo, Hitomi Sekiguchi.

01Tendo completado em fevereiro cinco décadas de trabalho à frente do posto de combustíveis automotivos no bairro de São Miguel Paulista, na zona Leste da Capital, Pedro Yano recebeu do deputado Hélio Nishimoto uma placa de honra ao mérito pelos relevantes serviços prestados à comunidade e por sua marcante atuação na divulgação e valorização da cultura japonesa na liderança da Associação Fukuoka do Brasil, na Associação Brasileira de Taikô e na Federação de Sakura e Ipê do Brasil.

02Sérgio Oda, vice-presidente da Federação de Sakura e Ipê do Brasil, destacou o trabalho de Pedro Yano no incentivo e ampliação do Bosque das Cerejeiras do Parque do Carmo, que já recebeu a visita de membros da Família Imperial e do primeiro ministro do Japão. Yano é o responsável pela realização da tradicional Festa das Cerejeiras, que neste ano será realizada pela 38ª vez consecutiva.

Após o ato, os convidados participaram de um coquetel na Sala de Café São Paulo, onde o homenageado e a esposa Katsuki Yano foram recepcionados por um grupo de taiko formado por integrantes do Tenryuu Wadaiko (São Miguel Paulista), Ikkon Wadaiko (Cidade Patriarca) e da ACAL – Associação Cultural e Assistencial da Liberdade e depois receberam muitos abraços e cumprimentos dos amigos.

O Homenageado

03Filho de Kiyoji Yano, natural da Província de Fukuoka (Japão), que imigrou para o Brasil em 1914, com apenas 14 anos, e de Sadako Yano, também natural da Província de Fukuoka (Japão), Pedro Yano nasceu em 10 de agosto de 1933, na Fazenda Santa Tereza, município de Araçatuba (SP).

Passou a infância em Valparaíso, colônia Santa América, no município de Getulina, na época comarca de Lins. Na juventude, de 1948 a 1965, trabalhou com a família no cultivo de café no sítio São Pedro, comarca de Flora Rica, município de Pacaembu. De 1951 a 1954, cursou a Escola Prática de Agricultura em Piraçununga.

05Em 25 de fevereiro de 1966, atendendo ao desejo dos pais, deixou o sítio aos cuidados do irmão Massao e veio com a família para São Paulo para estabelecer-se na Estrada Velha São Paulo – Rio, 1.290 – Bairro de São Miguel Paulista, nesta Capital, com o Auto Posto Revendedor de Combustível, bandeira Atlantic. Após 19 anos de muito trabalho, adquiriu o terreno onde se localizava o posto, livrando-se assim do pesado aluguel.

Nessa trajetória, Pedro Yano passou por vários planos econômicos que o obrigavam a mudar a forma de trabalho, na condução do seu comércio.

06Já com as medidas do Plano Collor, Pedro Yano desvinculou-se da Companhia Atlantic e passou a atuar com bandeira branca, isto é, responsabilizando-se pela qualidade dos combustíveis comercializados.

Em 1978, Yano concluiu o curso de bacharelado em Direito e em 1979 é inscrito na OAB – Ordem dos Advogados do Brasil, Sessão São Paulo.

Atuação como dirigente

Na comunidade nipo-brasileira, Pedro Yano ocupou diversos cargos nas associações e entidades. Foi duas vezes presidente da Associação Cultural e Desportiva Nikkei de São Miguel Paulista e duas vezes presidente da Associação Fukuoka do Brasil.

07Com ajuda da Associação Fukuoka do Brasil e do Governo da Província de Fukuoka, obteve a doação de um conjunto de “taikos” (tambores japoneses), talvez, os primeiros do Brasil. Essa mesma parceria proporcionou a vinda, do Japão, de um professor/instrutor de taiko. Esse trabalho culminou com a participação de 1.200 percussionistas no Sambódromo do Anhembi nas Comemorações do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil, em 2008.

Bosque das Cerejeiras

Os imigrantes japoneses deixaram para cidade de São Paulo uma magnífica herança: o Bosque das Cerejeiras do Parque do Carmo.

Em 2004, Pedro Yano sucedeu o senhor Hiroshi Nishitani, o idealizador do Bosque das Cerejeiras e assim assumiu a presidência da Federação de Sakura e Ipê do Brasil, entidade organizadora da tradicional Festa das Cerejeiras do Parque do Carmo, que neste ano será realizada nos dias 5, 6 e 7 de agosto.

Confira o calendário de eventos completo