Cerimônia de Outorga do 46º Prêmio Kiyoshi Yamamoto

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

kenzo tarumotoRealiza-se, no próximo dia 11 de novembro, sexta-feira, a partir das 19h, a cerimônia do outorga do 46º Prêmio Kiyoshi Yamamoto, evento que presta homenagem às personalidades que se destacaram por sua contribuição ao desenvolvimento da atividade agrícola em nosso país.

Desta feita, a Comissão Prêmio Kiyoshi Yamamoto, baseando-se nas indicações feitas pelas instituições e associações da área, selecionou dois nomes para receber o 46º Prêmio.

São eles: Kenzo Tarumoto por sua valiosa contribuição à fruticultura paulista, destacadamente na condução da cultura da manga, e Dr. Mário Nakano por sua relevante contribuição à avicultura brasileira.

A cerimônia será realizada no Salão Nobre do Bunkyo, na Rua São Joaquim, 381 – 2º andar, Liberdade, São Paulo – próximo da estação São Joaquim do Metrô.

A seguir, acompanhe o breve currículo dos homenageados.

Kenzo Tarumoto, 3º filho do Sr. Kaneichi Tarumoto, pioneiro fundador da Colônia Sankyo, 12 km da cidade de Presidente Prudente, nasceu e mora na propriedade herdada do seu pai, tendo como principal atividade a produção de frutas, com destaque para o cultivo da manga.

mario nakanoNa década de 1970, quando a região se tornou uma das maiores produtoras de manga Haden, Tarumoto destacou-se por sua alta produtividade e qualidade, servindo de modelo de alta rentabilidade, orientador e conselheiro de muitos agricultores. Passou a ser considerado, por unanimidade, como aquele que consolidou a fruticultura como uma das principais atividades da região.

Atualmente, continuando com a manga como eixo principal, ele tem se dedicado também ao cultivo de maracujá e citrus, alcançando grande rentabilidade.

Mario Nakano, natural de São Paulo, formou-se em Medicina Veterinária pela USP e especializou-se em Ornitopatologia. Mestre pela USP, tornou-se doutor em Ciências pela Faculdade de Ciências Médicas e Biológicas de Botucatu (UNESP).

Desde 1959, como funcionário do Instituto Biológico, na Seção de Ornitopatologia, além dos trabalhos de diagnósticos sobre doenças e assistência aos avicultores, realizou pesquisas e produção de antígenos e vacinas. Aposentou-se em 1991.

Em 1982, sob sua supervisão, a Seção de Ornitopatologia passou a contar com dois Laboratórios Regionais, em Bastos e Descalvado, com a finalidade de atender avicultores sobre os problemas de diagnósticos das doenças que ocorrem na região.

Mário Nakano ocupou vários cargos, além da chefia da Seção de Ornitopatologia, como Presidente da Comissão de pequenos animais da Secretaria da Agricultura de São Paulo (1996-1973), Coordenador da Comissão Nacional de Ornitopatologia do Ministério da Agricultura (1971-1973), Executor do projeto VII-B-12-IB-SP para Desenvolvimento das Pesquisas sobre Doença das Aves – VIII-AC 480 do Ministério da Agricultura (1993), Coordenador da Comissão Nacional de Alto Nível Científico da Avicultura no Ministério da Agricultura (1975), Coordenador da Comissão de Avicultura da Secretaria da Agricultura do Estado de São Paulo (1995), Curador da Faculdade de Medicina do ABC durante a sua Fundação e Conselheiro Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo durante a primeira gestão, Consultor do CNPq – Conselho Nacional de Pesquisa e do Fundo para o desenvolvimento de Pesquisa no Estado de São Paulo, FUNDESP.

Pertenceu à Sociedade Paulista de Medicina Veterinária e a ABETA – Associação Brasileira de Estudos Técnicos Agrícolas e World Poutry Science Association. Recebeu inúmeros prêmios, entre eles, o NISSEIKEN oferecido pelo Nippon Institute for Biological Science, Tokyo, Japan, por ocasião do trabalho apresentado durante o III Congresso Latino Americano de Avicultura em São Paulo, em 1973.

Confira o calendário de eventos completo