Temer sanciona lei que autoriza devolução definitiva da sede da Associação Japonesa de Santos

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

DSC04459O projeto de lei que autoriza a devolução definitiva do imóvel da sede da Associação Japonesa de Santos, confiscado após a Segunda Guerra Mundial, foi sancionado ontem (05) pelo Presidente da República, Michel Temer. A decisão foi publicada nesta terça-feira (06) no Diário Oficial da União.

sancao_presidencialA proposta, elaborada pelo então deputado Koyu Iha, tramitou no Congresso Nacional desde 1994 e foi retomado por iniciativa do deputado federal João Paulo Papa (PSDB/SP). Em julho, uma comitiva de diretores da Associação esteve juntamente com o parlamentar em uma reunião com o primeiro secretário da Mesa Diretora da Câmara, que também contou com o reforço do Embaixador do Japão no Brasil, Kunio Umeda.

Em maio, representantes da Associação se encontraram com o Cônsul Geral do Japão em São Paulo, em que discutiram a possibilidade de apreciação e aprovação do texto, demonstrando a importância do assunto.

Breve histórico do imóvel

A Associação Japonesa de Santos é sucessora da antiga Sociedade Japonesa de Santos, cujos primeiros registros datam de 1929 em uma escola mantida para ajudar no ensino dos descendentes de imigrantes. A escola e a antiga entidade funcionavam em um casarão adquirido com o apoio do governo japonês na Rua Paraná, 129, no bairro Vila Mathias.

No início da década de 1940, a eclosão da Segunda Guerra Mundial e as medidas nacionalistas do Estado Novo fizeram com que a Sociedade Japonesa de Santos mudasse seu nome para Sociedade Instrutiva Vila Mathias, para evitar prejuízos ao processo educacional da escola da comunidade nipônica.

O Brasil ingressou na Segunda Guerra Mundial junto aos grupo de países Aliados, que eram adversários do bloco do Eixo, o qual o Japão fez parte. Um decreto federal obrigou os japoneses e outros imigrantes das nações do Eixo a deixar a cidade – considerada área de segurança nacional – em um período de 24 horas. As atividades culturais e educacionais da entidade foram suspensas.

Após o fim da guerra e com uma minúscula quantidade de imigrantes japoneses em Santos, um outro decreto federal dissolveu as sociedades civis de imigrantes dos países do Eixo e transferiu o patrimônio destas entidades ao Governo Federal. Com isso, a Sociedade Japonesa de Santos foi dissolvida, e o casarão onde funcionava a escola na Rua Paraná foi incorporado ao patrimônio do governo brasileiro.

Em 2006, a Secretaria de Patrimônio da União permitiu o uso do imóvel para as atividades da Associação Japonesa de Santos e, em 2008, o casarão foi reinaugurado com a presença do príncipe Naruhito, durante as comemorações do Centenário da Imigração Japonesa. Hoje, o espaço recebe eventos, cursos e atividades culturais, além de manter o ensino da língua japonesa em uma escola com mais de 100 alunos.

Confira o calendário de eventos completo