Pavilhão Japonês: exposições abrem no dia 18 de fevereiro

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

hinaDuas exposições simultâneas, uma de bonecos japoneses e outra de cerâmica, destacam as habilidades manuais (detalhe especial na cultura japonesa) e o dinamismo da troca cultural entre Brasil e Japão. A exposição Hina Ningyo – A Arte dos Bonecos Japoneses reunirá centenas de bonecos usados durante o Hina Matsuri (Festival das Meninas) comemorado no dia 3 de março no Japão. A outra, sob o título Arte Craft – Cerâmica: Vivências & Harmonia, reunirá obras de 60 ceramistas brasileiros.

Os bonecos serão expostos no Salão Principal do Pavilhão, enquanto a mostra de cerâmica será montada na Sala de Exposição e na parte externa, no jardim, e também ao lado do lago – onde serão instaladas as obras de dimensões maiores. O evento prossegue até o dia 12 de março, com visitação pública às quartas, sábados, domingos e feriados, das 10h às 17h.

Hina Ningyo e a coleção do Bunkyo

hinaningyo01-redAnualmente, no Japão, no dia 3 de março, o ritual do Hina Matsuri (Festival das Bonecas) ou Dia das Meninas, toma conta das atividades femininas da família. Um conjunto de bonecos é cuidadosamente desembrulhado e fica exposto de uma a duas semanas. Depois, volta a ser guardado, até o próximo mês de março. Uma superstição antiga diz que se a família demorar o guardá-lo terá dificuldade para casar suas filhas.

Os bonecos são protagonistas do Hina Matsuri, também chamado de Momo no Sekku (Festival de Flores de Pessegueiro) por coincidir com a primeira floração das árvores, marcando o início da primavera.

O conjunto típico do Hina Matsuri representa o Imperador, a Imperatriz, serviçais e músicos com as vestimentas tradicionais do período Heian (710/1185). Já o costume de exibir esses bonecos iniciou nas famílias nobres e dos guerreiros de elite no período Edo (1603/1868), com o principal intuito de afastar os maus espíritos e desejar boa saúde e felicidade no futuro casamento!

Os bonecos muitas vezes são presenteados pela família da mãe da menina, quando esta vai realizar seu primeiro Hina Matsuri e se transformam em herança de família, transferidos de uma geração para outra. Há aquelas que preferem comprar os bonecos para cada filha.

No Japão, essa tradição ainda tem sido mantida por numerosas famílias, cumprindo esse ritual desde a infância até a mocidade (em geral, até os 16 anos de idade). No entanto, o espaço reduzido nas residências é um dos empecilhos para se armazenar os Hina Ningyo. Assim, uma das soluções tem sido doá-los para as entidades criadas com a finalidade de conservá-los, como também de preservar essa tradição promovendo uma série de eventos.

Uma dessas organizações é a Associação Awa Katsuura Idobatajyuku, da província de Tokushima (Japão), nascida de um grupo de voluntários, em 1988, com o apoio da prefeitura de Katsuuracho, para preservar os bonecos.

A diretora Haruyo Kunikiyo conta que, anualmente, cerca de 10 mil desses Hina Ningyo são “aposentados”. Assim, diante desta grande quantidade recebida, há 25 anos eles realizam o Grande Festival de Bonecas. A principal atração é uma pirâmide com 100 degraus reunindo cerca de 30 mil bonecos, arrumados numa bela e exuberante ornamentação.

Em 2014, com os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro e preparativos para a próxima edição em Tóquio, a entidade decidiu doar parte desse imenso acervo. “Acreditamos que seria interessante doar esses bonecos para o Brasil visando incentivar a divulgação da cultura japonesa”, destacou a diretora Kunikiyo, lembrando que esta “é a primeira vez que uma quantidade tão grande (3 mil) é destinada ao exterior”.

Na ocasião, o Bunkyo recebeu 1.500 bonecos em doação, e a outra metade ficou no Rio de Janeiro – 800 bonecos foram expostos no Japan House montado durante as Olimpíadas e depois doados à Associação Cultural e Esportiva Nipo-Brasileira do Estado do Rio de Janeiro – Renmei.

O Bunkyo, com esta exposição pretende iniciar o processo de doação de Hina Ningyo para as entidades nipo-brasileiras.

Arte Craft – Cerâmica: Vivência & Harmonia

ceramica1A edição inaugural da Grande Exposição de Arte Bunkyo unindo as comissões de Artes Plásticas e Arte Craft nasceu no esforço conjunto de preparativos do Centenário da Imigração Japonesa em 2007.

Assim, ao completar 10 anos desse evento, a Comissão de Arte Craft do Bunkyo viu a oportunidade ideal para promover um encontro/exposição dos ceramistas que participaram nessas 10 edições, escolhendo o Pavilhão Japonês, que se preparava para comemorar a data do Hina Matsuri.

A escolha do tema “Vivência & Harmonia” tem como referência a tradição cultural japonesa relacionada ao conceito filosófico do dō (caminho) que está presente em todas as atividades, não somente naquelas que o ocidente convencionou chamar de “artísticas”.

ceramica2Assim, a cerâmica também requer uma longa caminhada que não se reduz a aprender a manejar o barro. Também envolve uma vivência e convivência com essa matéria-prima, cujo caminho (dō) extrapola a produção de um “belo objeto”, e engloba uma postura de vida e busca de sua própria harmonia com o cotidiano de sua arte.

A proposta desta Mostra nasceu com esse espírito de possibilitar a cada ceramista revelar seu caminho (dō) trilhado nesses 10 anos!

Estarão presentes nesta Mostra 60 ceramistas com obras de variadas dimensões. Foram convidados todos os participantes das 10 edições da Grande Exposição de Arte Bunkyo, bem como os membros da Comissão de Arte Craft.

>> o catálogo desta exposição pode ser visitado em: www.issuu.com/bunkyo/stacks

O Pavilhão Japonês, localizado no Parque Ibirapuera, fica próximo do Museu AfroBrasil e Planetário. Contribuição: R$ 10,00 (adultos) e R$ 5,00 (estudantes, crianças de 5 a 12 anos e idosos de 60 a 65 anos).

SERVIÇO

Hina Matsuri – Festival das Meninas
Exposição: Hina Ningyo – A Arte dos Bonecos Japoneses
Exposição: Arte Craft – Cerâmica: Vivências & Harmonia
Quando: 18/02 a 12/03/2017 (quartas, sábados, domigos e feriados)
Horário: das 10h às 12h / das 13h às 17h
Local: Pavilhão Japonês – Parque Ibirapuera – São Paulo – SP
(próx. do Museu AfroBrasil e Planetário)
Contribuição: R$ 10,00 (adultos) e R$ 5,00 (estudantes, crianças de 5 a 12 anos e idosos de 60 a 65 anos)
Informações: (11) 3208-1755

Bloqueios de Carnaval na Av. Pedro Álvares Cabral
Sábado e Domingo dias 18 e 19 de fevereiro de 2017
Durante a passagem dos bloquinhos de carnaval ao redor do Parque Ibirapuera nos dias 18 e 19/02, haverá o fechamento dos Portões 09 e 10 da 00h01 do dia 18/02 (sábado) até às 20h00 do dia 19/02 (domingo).
Os portões 3 e 4 estarão acessíveis somente para pedestres visto que a Av. Pedro Alvares Cabral estará bloqueada (a informação que temos é que a alça verde estará bloqueada, portanto o portão 3 não estará acessível das 7h as 20h nos dias 18 e 19).

Confira o calendário de eventos completo