Bunkyo lança o Museu Virtual de Arte

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

“Em 2021, este foi um dos mais importantes projetos solicitados pelo Bunkyo”, afirmou Masayuki Eguchi, diretor do Escritório da JICA (Agência de Cooperação Internacional do Japão) em São Paulo, durante a cerimônia de lançamento do Museu Virtual de Arte do Bunkyo, na noite do último dia 7 de dezembro.

“O estabelecimento deste Museu Virtual é muito significativo neste momento em que as restrições às visitas continuam devido à covid-19”, acrescentou.

Já a cônsul Asuka Ozutsumi, do Departamento Cultural do Consulado Geral do Japão em São Paulo,  representante do cônsul-geral Ryosuke Kuwana, destacou que “todos os museus do Brasil possuem obras de artistas nipo-brasileiros”, no entanto, “esta iniciativa do Bunkyo, de  coletar e expor seu magnífico acervo, é extremamente importante”.

O presidente do Bunkyo Renato Ishikawa, além dos agradecimentos aos recursos encaminhados pela JICA, ressaltou que “a partir deste Museu Virtual, utilizando-se tecnologias de ponta para este tipo de instalação, o nosso sonho é o de montar, finalmente, o Museu de Arte do Bunkyo”.

A cerimônia também contou com a participação dos vice-presidentes Valter Sassaki e Lidia Yamashita, e de Olga Ishida e Marcos Akasaki, presidentes da Comissão de Arte Koguei e Artes Plásticas, respectivamente.

“O Museu Virtual de Artes Bunkyo é uma galeria de arte que permite uma experiência única de um passeio virtual pela exposição de respeitados artistas nipo-brasileiros”, afirmou Lídia Yamashita que coordenou o projeto do Museu Virtual de Artes.

“A montagem deste Museu foi um desafio técnico muito grande”, acrescentou Horácio Enokihara, proprietário da empresa Conosenti, “agradeço ao Bunlyo e a JICA pela oportunidade de desenvolver este trabalho, bem como as comissões ligadas às artes pela imensa colaboração”.

“Trata-se de um acervo fantástico”, ressaltou Horácio, “e o Museu Virtual vai dar acesso a mais de mil obras”, garantiu.

Em seguida, Hermes Enokihara, coordenador geral do projeto, detalhou sobre o funcionamento do Museu Virtual de Artes afirmou que se buscou “reproduzir o mais fiel possível”, desde as dimensões e perspectivas arquitetônicas do 1º andar do edifício onde se pretende instalar o Museu de Arte, até as reproduções das obras de arte, em muitos casos, utilizou-se a técnica de 3D, para “obter o máximo de realismo”.

De acordo com o coordenador, o visitante poderia optar pela “programação automática de visitas” ou selecionar somente os pontos ou obras desejadas.

O Museu Virtual de Artes está organizado em alas identificadas por cores: a preta reúne as 21 obras dos fundadores, membros do Seibi-kai; a branca refere-se às obras premiadas, num total de 51 trabalhos e na cinza estão as obras do acervo num total de 18 trabalhos.

Também, nos corredores do museu estão dispostas as esculturas e cerâmicas referentes à Arte Koguei. Estas receberam um tratamento especial com visualização mais completa (em vídeo).

Além da seleção de idiomas, o visitante também poderá fazer uma busca nas obras de seu interesse com indicações de título, autor e modalidade. O coordenador informa que foram catalogadas 1.065 obras e o programa tem capacidade para receber mais.

Já o setor de Arte Koguei, além da indicação e descrição sobre as diferentes técnicas dessa arte, foi montada uma retrospectiva das 13 últimas exposições. Assim, ao clicar na exposição de determinado ano, poderá ter acesso a todas as obras participantes.

Na ocasião, Hermes fez questão de agradecer ao trabalho dos membros da Comissão de Arte Koguei que se dividiram em equipes e, num curto espaço de tempo, conseguiram catalogar 880 obras.

Na sequência da cerimônia, a ceramista Olga Ishida, presidente da Comissão de Arte Koguei, afirmou que o Museu Virtual “ficou muito especial” e agradeceu o apoio da JICA. “Esta será mais um importante iniciativa para toda a comunidade nipo-brasileira”, acrescentou.

Já o presidente da Comissão de Artes Plásticas, Marcos Akasaki, ressaltou que o Museu  Virtual “foi a realização de um sonho” e que “oferece possibilidade de o público conhecer as obras do acervo que até estavam guardadas, sem acesso”.

Ao finalizar o evento, André Korosue, coordenador geral do Comitê Cultural, reiterou os agradecimentos à JICA e aos dedicados colaboradores e lembrou do ditado que Kokei Uehara, atual presidente honorário do Bunkyo, gostava de repetir: “Sonho que sonha sozinho não passa de sonho, mas se sonhamos juntos, vira realidade”.

Acesso:

Museu de Arte Virtual: www.bunkyo.org.br/br/arte/

Retrospectiva de Arte Koguei: www.bunkyo.org.br/br/arte-koguei/

Confira o calendário de eventos completo