Arte Koguei

Descubra a arte de criar a beleza a partir de elementos da natureza como ar,
água, terra e fogo com a utilização de matérias-primas variadas como madeira,
vidro, tecido, argila, metal, entre outros.

53 ANOS DE ARTE KOGUEI

TÉCNICAS

A abrangência da Arte Koguei é muito complexa e motivo de debate entre os próprios estudiosos, incluindo até nos critérios para julgamento dos trabalhos apresentados. As principais categorias são:

Arte de criar peças e esculturas conferindo na obra técnicas, valores, beleza e vida. São feitas a partir da argila que é amassada e moldada e, em seguida, queimada no fogo para torná-la sólida e duradoura. Das técnicas relacionadas à Arte Koguei, foi a cerâmica que conquistou o espaço mais amplo na sociedade brasileira.

SHIBORI: Técnica de tingimento com o tecido amarrado, dobrado e prensado, ou costurado para vedar algumas áreas do tecido e criando assim diversos padrões.

ROKETSUZOME (BATIK JAPONÊS): Técnica em que a cera derretida é aplicada ao tecido com um pincel para evitar que a área seja tingida. Esse processo é repetido várias vezes até obter um resultado desejado.

IMPRESSÃO BOTÂNICA: Também conhecido como ecoprint. As cores e formas das plantas são transferidas para o tecido por meio de compressão e calor. Flores, folhas, cascas, rizomas e sementes são utilizadas para essa técnica. O resultado é a beleza da natureza impressa no tecido.

ESTAMPARIA: A arte impressa no tecido, inclui serigrafia, moldes vazados, carimbos de madeira (xilogravura) e carimbos de metal com cera quente.

PATCHWORK: Técnica que consiste em reunir retalhos de tecidos em diversos formatos. O patchwork moderno com nova linguagem também é apresentado como obra de arte.

TAPEÇARIA: Na arte têxtil a técnica vai além das versões planas. Nas obras tridimensionais, pode-se usar várias técnicas como o macramê, crochê, feltragem, tufado e franjas.

BORDADO: Técnica que utiliza agulhas e fios geralmente feitos à mão ou à máquina sobre tecido. A arte de ornamentar com fios passou por mudanças para se concretizar na arte.

SASHIKO: Bordado tradicional japonês. O ponto alinhavo cria um conjunto de formas geométricas. A técnica é simples e bela, e cada padrão tem significados e desejos como orações, boa colheita, amuletos, prosperidade.

Técnica de prensar pétalas de flores e folhas para nivelar e excluir umidade, depois usadas decorar objetos ou como matéria-prima para obras de arte. (fonte: site Bunkyo)

WASHI-Ê – Técnica que utiliza como matéria papéis artesanais confeccionados com fibras de plantas e explora as diferentes texturas, cores e nuances destes papéis; que desfiados, dobrados e justapostos resultam em obras que vão do figurativo ao abstrato. (fonte: site Bunkyo)

ORIGAMI – arte tradicional e secular japonesa de dobrar o papel, criando representações de determinados seres ou objetos com as dobras geométricas de uma peça de papel, sem cortá-la ou colá-la. (fonte: Wikipédia)

KIRI-Ê – arte que consiste em recortar papéis com a lâmina do estilete, vazando algumas partes e conservando outras. (fonte: site Aliança Cultural)

MACHÊ – Arte de moldar objetos em diferentes formatos a partir de papel picado embebido na água, depois coado e misturado com cola e gesso.

MARCHETARIA: Técnica de ornamentar as superfícies planas de móveis, painéis, pisos, tetos, através da aplicação de materiais diversos, tais como: madeira, metais, madrepérola, pedras, plásticos, marfim e chifres de animais, tendo como principal suporte a madeira. (fonte: Wikipédia)

SHIPPO YAKI – Técnica que usa pós de vidro sobre base de metal (ouro, prata ou cobre) e promove sua fusão por meio de altas temperaturas (fonte: site Bunkyo)

FUSING – Técnica usada para juntar peças de vidro fundindo-as (fonte: site Bunkyo)

TOSSO NINGYO – Esculturas em madeira que apresentam uma textura bem lisa à pele das bonecas devido ao acabamento com pó de conchas marinhas (gofun) e cola (nikawa). (fonte: site Bunkyo)

RETROSPECTIVA

Em 2007, em antecipação a comemoração do centenário da imigração japonesa no Brasil, foi promovida a Grande Exposição de Arte Bunkyo (Bunkyo Jaisogo Gendai Bijutsuten). Foi a unificação de três exposições que se realizavam em separado: Salão Bunkyo Gendai Bijutsuten, Exposição de Arte Koguei Brasil – Japão e a exposição dos artistas plásticos da “Biten”. Assim, a partir dessa data, a Exposição de Arte Koguei Brasil-Japão passou a fazer parte da Grande Exposição de Arte Bunkyo. Abaixo a retrospectiva de 13 anos de exposição da Arte Koguei.

2007

2008

2009

2010

2011

2012

2013

2014

2015

2016

2017

2018

2019

Pesquise obra ou artista