Monja Coen Roshi realiza palestra no MHIJB

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

palestra monja coenNo dia 8 de outubro, a partir das 19h, o MHIJB – Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil recebe a Monja Coen Roshi para uma palestra sobre “O Budismo e a identidade do Nikkey”. Os interessados devem fazer inscrição antecipadamente.

Além de divulgar o Museu, esta ação busca trazer “pessoas interessantes” para fazer a ponte entre o conhecimento e o público e as inscrições serão revertidas para a manutenção das atividades do MHIJB.

Nesta palestra do dia 8, a Monja Coen Roshi vai abordar os seguintes assuntos:

– Pequeno relato histórico sobre o Zen Budismo, valores e princípios
– O Zen Budismo no Japão e sua expressão nas artes e na cultura
– Vinda dos Imigrantes trazendo seus altares familiares, as tradições budistas e a cultura
– A crise da segunda geração (Nikkey) sócio econômica cultural e religiosa
– A construção de uma nova identidade – a Nikkey

O evento é a segunda realização do projeto Cursos no Museu, que foi iniciado no dia 1º de setembro, com a palestra da socióloga e antropóloga Célia Sakurai.

Cursos no Museu
Palestra com a Monja Coen Roshi
O Budismo e a identidade do Nikkey
Data/hora: 8 de outubro de 2014, quarta-feira, às 19h
Local: Edifício da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social
Rua São Joaquim, 381 – 9º andar – Liberdade – São Paulo – SP
Inscrições: R$ 100,00 / Associados do Bunkyo e Amigos do Museu: R$ 50,00
Informações: (11) 3209-5465, com Eduardo ou Mieco / museu@bunkyo.org.br

Monja Coen Roshi

monja coen roshiMissionária oficial da tradição Sôtô Zenshû, com sede no Japão, e Primaz Fundadora da Comunidade Zen Budista Zendo Brasil, criada em 2001, com sede em São Paulo; Coen Roshi iniciou seus estudos budistas no Zen Center de Los Angeles.

Ordenada monja em 1983, foi em seguida para o Japão, onde permaneceu por 12 anos, oito dos quais no Convento de Nagoya, Aichi Senmon Nisodo e Tokubetsu Nisodo.

Retornando ao Brasil em 1995, durante seis anos liderou as atividades no Templo Busshinji, em São Paulo, sede da tradição Sôtô Zenshû para a América do Sul.

Jornalista de formação acadêmica, trabalhou no Jornal da Tarde e O Globo e como Monja Zen Budista da tradição Soto Shu baseia seus ensinamentos no tripé: Direitos Humanos, Meio Ambiente e Cultura de Paz.

Confira o calendário de eventos completo