Mariko Nakahira lança música em homenagem ao ipê

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

mariko nakahiraEntre os numerosos eventos comemorativos aos 120 anos do Tratado de Amizade Brasil-Japão, certamente este se destaca por seu ineditismo – e tem como protagonista a árvores e a flor de ipê.
No próximo dia 18 de outubro, na Associação Centro Social Tochigui do Brasil (Rua Capitão Cavalcanti, 56 – Vila Mariana, São Paulo), a cantora japonesa Mariko Nakahira estará lançando a música “Ipê Ondo”, em japonês – letra de sua autoria e arranjo de Muraishi Atsushigue.

Na ocasião, os integrantes da Associação Kenko Taissô do Brasil, sob a orientação da professora Toshio Kawazoe, estarão apresentando a coreografia criada especialmente para essa música.

“O ipê e a cerejeira formam um casal de irmãos perfeitos”, diz um dos versos da canção – e é a partir dele que a cantora justifica a inspiração para essa música.

Conta que, desde 2005, ano de sua estreia no Brasil, chega em meados do ano, época em que os ipê estão floridos. “Desde a primeira vez, a exemplo de nossos imigrantes, fico muito emocionada com os ipês floridos e realmente acho que, acertadamente, adotaram o ipê como substituto do saudoso sakura da terra natal”.

“Na minha convivência com os antigos imigrantes, eles sempre se referem a essas lembranças e queria, algum dia, criar uma música que falasse desse sentimento”, conta Mariko Nakahira, “finalmente, nestes 120 anos de comemoração do Tratado de Amizade Brasil-Japão, finalmente vou poder realizar este sonho”.

A música “Ipê Ondo” nasceu a partir da proposta de uma associação chamada de “Hanasaka ji no Kai”, integrada por nipo-brasileiros e japoneses, que já conseguiu produzir mudas de ipês adaptadas ao clima japonês e pretende plantá-las por todo o Japão.

“É uma campanha interessante não só para homenagear o Brasil com sua flor símbolo, como também, valorizar o intercâmbio entre os dois países, os imigrantes japoneses e seus descendentes”, destaca a cantora.

“Vamos, olhem para o sorriso da plena floração do ipê, que traz grande felicidade para todos nós”, ressalta o “Ipê Ondo”.

A fábula que inspirou a associação Hanasaka ji no kai

Esta associação, ainda informal, inspirou-se na fábula infantil “Hana wo sakasu ji” (O velho que fazia a árvore florescer). O enredo gira em torno de dois velhinhos, um bondoso e outro ganancioso.

O primeiro possuía um cachorro que, ao seu comando, com as patas cavoucava o local indicado e desse buraco brotavam moedas. O outro, que era seu vizinho, apossou-se do cão, mas do buraco que mandava abrir só aparecia lixo!

Furioso, o velho ganancioso matou o cachorro e, o outro, muito triste, resolveu enterrá-lo junto ao pinheiro (matsu). Este cresceu muito rapidamente e, o bondoso, usou seu tronco para fazer um pilão para socar o arroz mochi. Assim, a cada batida no arroz, brotavam moedas. No entanto, na vez do velho ganancioso só saiam bugigangas. Revoltado, ele tocou fogo no pilão.

O velho bondoso então juntou as cinzas para levá-las para casa. No entanto, no caminho, uma forte rajada de vento carregou parte das cinzas para o alto e estas caíram sobre uma árvore, o que a fez ficar carregada de flores de cerejeiras.

A fama do “Hanasaka jiji” como o “velho que fazia florescer”, chegou aos ouvidos do rei, que quis conferir suas habilidades. A demonstração bem-sucedida deixou o rei feliz e sorridente.

Invejoso, o velho ganancioso subiu numa das árvores e jogou a mesma cinza. Além de não florescerem a árvore, as cinzas caíram sobre o rei, deixando-o furioso.

Confira o calendário de eventos completo