Homenagem ao mestre Shuhei Okano: toda vida dedicada ao judô

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Cerimônia de outorga da Comenda da Primavera, na residência oficial do cônsul-geral do Japão em São Paulo, em 25 de julho de 2019. Sensei Shuhei Okano, sentado, à esquerda, ao lado do cônsul-geral Yasushi Noguchi.

Entre os elementos da cultura japonesa adotados pelos brasileiros, o judô é um esporte largamente praticado, principalmente nas escolas.

Certamente, entre os responsáveis por essa popularização está a dedicada e incansável atuação do mestre Shuhei Okano, 9º dan, que faleceu no último dia 16 de janeiro, aos 82 anos de idade. Foi sepultado no Cemitério do Redentor (SP).

Devido aos problemas respiratórios, ele foi hospitalizado no final do ano durante duas semanas e, atualmente, estava em tratamento domiciliar.

Natural de Hokkaido, nascido em 20 de janeiro de 1938, sensei Okano graduou-se em Direito pela Universidade Chuo, em Tóquio e emigrou ao Brasil aos 28 anos de idade.

Ganhou destaque por seu desempenho como técnico da seleção brasileira de judô, de 1968 a 1972. Foi técnico de Chiaki Ishii, judoca que, em 1972, conquistou a medalha do bronze nos Jogos Olímpicos de Munique, a primeira do judô para o Brasil.

Presidente do Instituto Kodokan do Brasil, sensei Okano atuou em diversas frentes para o desenvolvimento e promoção da filosofia do judô em nosso país e, durante longos anos, ao fortalecimento na formação de atletas.

Em 2019, ele foi um dos condecorados da Primavera, com a Ordem do Sol Nascente – Raios de Prata, concedido pelo governo japonês. 

Na ocasião, entre os feitos destacados foram: “planejou a unificação do sistema de graus do judô brasileiro”, ressalta, indicando que, por ocasião do Centenário de Tratado de Amizade, de Comércio e de Navegação entre Brasil-Japão, em 1995, realizou o Campeonato Internacional Amistoso de Judô, convidando a Federação Japonesa de Judô, contribuindo para as relações amistosas entre os dois países. 

Ainda, concretizou a reforma da arena olímpica do Ginásio do Ibirapuera por meio do Projeto de Assistência a Projetos Comunitários Culturais do Governo do Japão. 

Além disso, publicou livros relacionados ao judô e trabalhou na promoção da introdução do judô na educação no sistema oficial da educação brasileira, contribuindo para o fomento da divulgação do judô no Brasil.

“O Judô é Educação”. Este era o princípio fundamental da filosofia e conduta adotada pelo mestre Okano. Ou seja, o Judô é a própria Educação antes de considerá-lo como uma modalidade esportiva.

O Judô nasceu e sempre foi instrumento de formação educacional da juventude desde a época da modernização do Japão. Atualmente, sua maior preocupação se referia ao futuro da prática do Judô que, acreditava, “o espírito de sua origem está sendo enfraquecido”.

Sensei Shuhei Okano, um dos destacados líderes junto aos sengo-imin (imigrantes japoneses pós-guerra), era associado e membro do Conselho Deliberativo do Bunkyo.

Confira o calendário de eventos completo